‘Professor dos Professores’
Página Inicial || Sobre este Site || Materiais de Estudo || Contato || Doações || Pedidos de Materiais
Preparando a Fundação || Desaprendendo o Mundo || Transferência do Treinamento

Medo de Olhar para Dentro

A seguinte transcrição foi tirada de um diálogo entre o Orador e vários participantes numa pequena reunião. A seção do texto a que se refere está no Capítulo 21, Razão e Percepção; seção 4, O Medo de Olhar para Dentro.

*************************************


Orador: Um tema comum que está surgindo seja tomando a forma de fadiga ou letargia ou resistência para ler o livro ou vir para as reuniões... resistência é somente uma expressão de medo e é por isso que esta seção ‘O Medo de Olhar para Dentro’ pode ser útil. É para isto que nós realmente precisamos olhar. “Lembre-se que o ego não está sozinho. O reino do ego é moderado, e seu “inimigo” desconhecido, Quem ele nem mesmo pode ver, ele teme.”

O ego não tolera olhar para a luz. Ele sente que existe algo maior do que ele, mas ele não tolera olhar para isso. “E se você olhasse para dentro e não visse pecado? Esta questão “amedrontadora” é uma que o ego nunca pergunta. E você que pergunta isso agora está ameaçando todo o sistema defensivo do ego tão seriamente que ele se incomoda em fingir que é seu amigo.”

Essas pequenas sentenças realmente começam a nos dar algum insight que a mente está começando a questionar, “E se eu for inocente? E se eu não tiver pecados e culpas?”. O ego está aterrorizado com o questionamento. Ele quer voltar ao questionamento trivial das coisas do mundo. “E se eu pudesse fazer isso melhor? E se eu pudesse fazer isto ou aquilo? Consigo obter uma ilusão melhor?” Este é o tipo de questionamento que o ego pode tolerar.

“Sua liberação ainda é somente parcial; ainda limitada e incompleta, mesmo assim inata em você. Não estando totalmente insano, você tem estado disposto a olhar para muitas das usas insanidades e reconhecer essas loucuras. Sua fé está se movendo para dentro, além da insanidade em direção à razão. E o que a sua razão te diz agora o ego não ouviria. O propósito do Espírito Santo foi aceito pela parte da sua mente que o ego não conhece. Nem você conhecia. E ainda assim esta parte, com a qual agora você se identifica, não tem medo de olhar para ela mesma. Ela não conhece o pecado. Como, então, ela poderia ter estado disposta a ver o propósito do Espírito Santo como a dela mesma.”

Estes parágrafos me fazem lembrar de uma citação que eu estava lendo um outro dia sobre um diagrama de uma espiral. A citação era, “Você ainda não voltou o suficiente.” É um passo bem grande só para começar a questionar tudo, mas a dor e a resistência vem do “você ainda não voltou o suficiente”. A única liberação que será uma liberação verdadeira será quando você chegar no início. É como se quando você está questionando as coisa, você estivesse relaxando, relaxando e cada vez mais relaxando. A resistência parecerá surgir de tempos em tempos porque a mente ainda acredita no ego, e conforme ela relaxa, relaxa, relaxa que a morte espera por ele. Então Deus o cegará. Ou que haverá algum tipo de punição envolvida. É quando a resistência entra. É um medo de olhar para o que está por baixo do medo.

Participante 1: Este pensamento serve para mim e parece ser algo que eu posso apontar como um medo. E se refere ao que nós conversamos ontem, quando você estava dizendo “Eu senti dor no passo, então você pode apostar que vai acontecer no futuro.” Tem que haver esta conexão que eu estou fazendo na mente para dizer ‘Eu sei como foi sentir aquela dor’, e se foi intolerável então apenas olhando para a dor do meu medo real de Deus vai acabar comigo. Eu sinto que ela lá no fundo, e que é aonde a resistência parece vir. Até mesmo quando conversamos sobre isso, há uma pergunta que surge na minha mente que é “Como abordar isto? Como chegar perto daquele medo na mente, o medo de Deus?” Parece tão obscuro na maioria das vezes. Então, para mim isto simplesmente assim, você sabe quando você diz algo que sentimentalmente é legal... soa bem... Este ainda é o sentimento que eu tenho quando eu leio isso.

Orador: Bem, vamos olhar para o medo. Anteriormente em grupos do Curso e conforme eu rodeei, quando entrei nas emoções e assim por diante, posso dizer quão veemente foram as respostas às vezes quando eu digo que o medo não é uma emoção real. Eles dizem, “O que você quer dizer!”

Participante 1: Eu gosto disso, eu não me oponho a isso. Eu gostaria de vivenciar isso....

Orador: Mas você não acredita nisso.

Participante 1: Com certeza não.

Orador: Aí é que está. Você está dizendo que há está associação como se ‘Uau, aquilo realmente me fez sentir mal e isso só pode ser pior ou só uma pontada da dor que vou sentir no futuro.’ Você pode ver o investimento ou a crença na realidade da emoção.

Participante 1: Então, essa crença obviamente tem que ser questionada. Eu não sei como chegar por baixo dessa crença para questioná-la.

Orador: Como estamos nesta discussão, eu diria que a seção que realmente trata especificamente deste assunto no Curso é o “Obstáculos à Paz”. Fala sobre a atração à dor e a atração à culpa e medo. Realmente fala sobre isso em termos de interpretação da invenção da mente. Em outras palavras, dor é apenas uma testemunha, como discutimos outro dia, e o ego interpreta isso como uma prova do pecado. É por isso que dói tanto. Porque o ego está lá dizendo, “aha, aha, aha! O pecado deve ser real.” O ego uso a dor como uma justificativa ou uma interpretação de que o pecado é real. Mas é uma percepção equivocada. A dor é somente uma percepção equivocada. A dor não prova nada a não ser que você queira.

Participante 2: A dor não prova nada… Você decide o que ela significa, você até mesmo decide relacionar a palavra ‘dor’ a ela, para dar a ela esta definição. Para mim parece que uma vez que a mente relaciona a definição de dor com algo, então é um caso encerrado.

Participante 1: Então o que eu estou tentando provar é que eu sou pecador.

Orador: Através das lentes do ego, sim é isto. E se nós pegar aquela seção e examinar mais de perto, de novo é aquela coisa do prazer-dor. O ego chama algumas dores de prazer. Ele literalmente define algumas dores como prazeres. Você consegue imaginar ter um monte de dores e arrancar algumas acreditando que você tem algo diferente. A dor e o prazer são apenas nomes diferentes para a mesma coisa.

Participante 2: São todas para provar que o que eu sou é pequenez. Este corpinho.

Orador: Uma outra coisa é que o corpo apenas segue as ordens. Obviamente que a mente designou esse significado ou esse sentimento a ela [dor]. Ela diz, ‘você vai sentir isto.’ Mas para onde realmente voltamos é, qual é o propósito? Em relação a tentar lidar com a dor, enquanto que você estiver alinhado com o propósito do ego, então você terá estas sensações irreais, uma delas é a dor. Você vê quão crucial é começar a desvendar o propósito do ego. Orgulho, prazer e ataque. A única saída da dor e ver que a experiência é irreal, ver que não tem realidade, é examinar o propósito do ego e ver muito claramente que você não quer compartilhar com este propósito. Enquanto você compartilhar um propósito com o ego, você está alinha com o ego e vai parecer que você vivencia dor, medo, culpa, depressão e todos os tipos de transtornos. Não é uma coisa significativa dizer ‘leva esta dor para longe de mim’, quando foi você quem a escolheu. Você deve olhar para as condições e os propósitos do ego então não compartilhar esses propósitos. Esta é a fuga. Você estava perguntado como escapar do medo. Você escapa por não compartilhar nenhum propósito que o ego tenha para qualquer coisa.

Participante 1: Isto parece muito drástico para mim. Mesmo você dizendo isso eu estou pensando “Tá bom, vou desistir do ataque, desistir da dor, mas vou desistir do prazer por último.”

Orador: Talvez isto parece ir por este caminho. Mas eu te garanto que você desistirá dele alegremente. A alegria que você vivencia quando você está no propósito de fazer a sua brilhar e conforme você estende isso vai parecer crescer e crescer. Talvez possa parecer desse jeito [desistir do prazer por último], mas isso não será nada em comparação a alegria que você irá sentir.

Participante 1: Isso parece bom para mim. Mas dizer ‘desista disso primeiro!’... eu não quero.

Participante 2: Apenas queira a experiência de ter isso comparado como nada.

Participante 1: Está bem. (risadas)

Orador: (rindo) Isto parece negociável!

“Sua fé está se movendo para dentro, além da insanidade e em direção à razão. E o que o seu raciocínio te diz agora o ego não ouviria. O propósito do Espírito Santo foi aceito pela parte da sua mente que o ego não conhece. Nem você conhecia. E ainda assim esta parte, com a qual você se identifica agora, não tem medo de olhar para ela mesma. Ela não conhece o pecado. Como, de que outra forma, ela poderia estar disposta a ver o propósito do Espírito Santo como dela própria?”

É isto que quer dizer que enquanto alguém se identificar com o ego, esse alguém terá medo olhar para ele. A crença que há tanta negrura, tanta imundície e tanta sujeira na mente que ela é incapaz de olhar para ela mesma.

Participante 1: Essas reuniões... todo o propósito delas é olhar para dentro. Não pode ser o propósito do ego. O ego não pode estar feliz com isso.

Orador: O propósito destas reuniões é olhar. Não é só sobre luz, amor e alegria. Tivemos reuniões onde entramos nas coisa e no final não houve a experiência do sentimento de liberação, ou de alegria. Então vocês continuam questionando. Isto que vocês fazem. Não vai ter batidas na cabeça ou chicotadas se você não entendeu, apenas continue a questionar. Jesus menciona nas primeiras partes do curso que inicialmente vai parecer necessário muito esforço consciente para estar alinhado com ele. Parece precisar de um milagre, inicialmente é necessário muito esforço consciente.

Participante 1: E assim mesmo ainda é questionável.

Participante 2: ... como quanto a capacidade. Certamente que um pensamento entra com freqüência, “Consigo fazer isso?”

Orador: Não faz sentido que depois de você ter tido um verdadeiro impulso construtivo, depois da mente ter sido treinada que ela não precisa mais fazer esforço.

Participante 1: Absolutamente, isto faz muito sentido para mim. Esforço não parece ser consistente com o Espírito Santo. Estas duas palavras não combinam.

Orador: Conforme você se torna esclarecido, entende melhor, é assim que a sua mente fica protegida. Você verá além das ilusões, você não vai pegar a isca. Você se renderá a sua alegria e a estenderá porque isto que significa se tornar esclarecido.



Página Inicial || Sobre este Site || Materiais de Estudo || Contato || Doações || Pedidos de Materiais

Teacher of Teachers in English

Sinta-se à vontade para compartilhar as idéias oferecidas aqui.Se você gostaria de participar distribuindo estes materiais,
entre em contato conosco.Nós adoraríamos te ouvir.

Política de Privacidade