‘Professor dos Professores’
Página Inicial || Sobre este Site || Materiais de Estudo || Contato || Doações || Pedidos de Materiais
Preparando a Fundação || Desaprendendo o Mundo || Transferência do Treinamento

A Experiência Além da Teologia


P: Eu devo dizer que sou tocado pela sua preocupação por mim e a intensidade da sua paixão pelo Curso e suas mensagens de salvação evidenciaram tão acentuadamente em sua mais recente epístola. Você enfatiza repetidamente que temos a tendência de ver [perceber] somente o que nós queremos perceber, e que a minha percepção representa o que eu quero ver, e não o que realmente está lá. Eu acredito que você aceitará que esta propensão para perceber equivocadamente baseado no preconceito não é exclusivamente minha, e que você também poderia compartilhar isso?

R: Eu te amo assim como meu próprio Ser. A Alegria de Cristo é a intensidade da paixão que eu expresso. Eu estou alinhado com a Perspectiva do Espírito e não compartilho a “propensão para perceber equivocadamente.” Agora eu vejo que a ilusão não pode ser compartilhada. Somente a Perspectiva do Espírito Santo pode ser compartilhada, pois a “perspectiva pessoal” do ego baseado na premissa das “mentes privadas / pensamentos privados” foi o único erro. Somente o amor pode ser compartilhado, e a tentativa para “compartilhar” uma ilusão é literalmente impossível. Eu sei do seu desejo da verdadeira liberdade e, portanto, eu devo dizer que o seu questionamento deve ser dirigido àquilo que você acredita ser liberdade que está encobrindo a Experiência na consciência. Como diz o Cristo em UCEM: “É a essas pessoas, que aprenderam sobre a liberdade, que deves perguntar o que é a liberdade.” (T-20.IV.4.5)

P: Com “um pouco de disponibilidade” o Espírito Santo corrige nossa percepção e então o que nós projetamos é o Amor de Deus, não a confusão do ego.

R: Na verdade o Espírito Santo estende e o ego projeta. O Amor estende e o erro projeta. A projeção é sempre do ego. Como diz o Cristo em UCEM:
“A diferença entre a projeção do ego e a extensão do Espírito Santo é muito simples. O ego projeta para excluir e, portanto, para enganar. O Espírito Santo estende por reconhecer a Si mesmo em cada mente e assim percebe-as como uma só. Nada está em conflito nesta percepção, porque na percepção do Espírito Santo todos são o mesmo. Aonde quer que Ele olhe, vê a Si mesmo e porque está unido oferece sempre todo o Reino.” (T-6.II.12)

P: Também te digo que quase tudo que eu pensava que era verdadeiro sobre o mundo e Deus há 40 anos atrás hoje eu não concordo mais. Minha mente foi mudada sobre muitas coisas, e foi mudada na maior parte por pessoas com quem eu inicialmente discordava totalmente. Eu estava “um pouco disposto” a ouvir quando me deparava com um caso persuasivo, em vez de “querer” acreditar ou não. Então, não é verdade que não há nenhuma quantidade de evidência que possa mudar a minha mente.

R: Você está começando a descobrir que “você pensa que pensa” é completamente sem sentido. Este é um reflexo das “lições do desfazer” do Livro de Exercícios de UCEM, particularmente nº 4 e nº 10.

P: Vou te dizer mais uma coisa, eu passei três anos em Estudos Bíblicos numa Faculdade da Igreja. Alguns dos meus professores eram gigantes espirituais e me ensinaram muito mais do que eles pensam que me ensinaram. Uma coisa que eles me ensinaram foi como fazer Teologia e Exegese da Escritura cuidadosamente e profissionalmente. Eu amo fazer ambos, com aqueles que são capazes de fazer os dois, e não é todo mundo, mas tudo bem.

R: O conceito da teologia tem somente valor temporário como uma “passagem no processo” para a Experiência do Despertar. O Texto de UCEM foi feito para tornar as lições do Livro de Exercícios mais significativas, porém é a aplicação das lições (sem fazer exceções) que é a chave da transformação da consciência e do sonho feliz. A meta é o verdadeiro perdão, e a teologia deve ser posta de lado para que esta Experiência ocorra na consciência. Como foi citado no meu último email para você: “Considerações teológicas enquanto tais são necessariamente controversas, já que dependem de crença e podem, portanto, ser aceitas ou rejeitadas. Uma teologia universal é impossível, mas uma experiência universal não só é possível como necessária. É para essa experiência que o curso está dirigido. Só aqui é possível haver coerência porque só aqui termina a incerteza.” (Escl. - Intro. 2)

P: Não falamos sobre teologia, simplesmente FAZEMOS. Que na verdade é muito mais divertido! Seja falando ou fazendo com outros, eu geralmente aprendo alguma coisa, que é onde a Alegria entra. Deus sabe que eu não estou sempre certo! Ninguém pode aprender se pensa que é o tal. Por outro lado, eu também não estou sempre errado J. Afinal de contas é dito, “Abençoados são os fazedores da paz.” Não há nada aí sobre “Abençoados são os Teólogos da Paz.” A ação conta. Conversa é perda de tempo, no entanto é divertido. Geralmente só diverte o ego. No entanto, a única função do corpo é comunicação, que pode envolver conversas. Comunicação com boa vontade pode adiantar a união e a remoção dos bloqueios à consciência do amor. Que é a meta e o resultado, nossos esforços não são em vão.

R: Conversas sobre teologia poderiam ser resumidas nas seguintes passagens de UCEM: “O estudo do ego não é o estudo da mente. De fato, o ego gosta de se estudar e aprova inteiramente as iniciativas de estudantes que querem “analisá-lo”, assim aprovando a sua importância. No entanto, eles apenas estudam a forma sem conteúdo significativo.” (T-14.X.8:6) “Todos os curados não-curados têm que seguir o plano do ego para o perdão de uma forma ou de outra. Se são teólogos, provavelmente condenam a si mesmos, ensinam a condenação e advogam uma solução amedrontadora.” (T-9.V.3:3) Não deixe o apego à teologia atrasar a aplicação das lições diárias, pois todo o aprendizado pelo Espírito Santo está direcionado à Experiência do Despertar. O ego é o aparente bloqueio à consciência desta Experiência e, portanto, é o ego que deve ser desaprendido ou desfeito para Despertar para a Realidade.

P: Enquanto estudava o Novo Testamento em Grego e Profecia Hebréia eu também tive tempo para alguns cursos de Psicologia incluindo um sobre Psicologia Perceptual. A linha da percepção, tão freqüentemente enfatizada no Curso quando contrasta as percepções equivocadas do ego com as percepções corretas do Espírito é bem conhecido na Psicologia e suponho que bem conhecido também para os Mestres de Psicologia, Helen Schucman e Bill Thetford. Eles também deveriam saber sobre um fenômeno similar chamado “Transferência da Extensão” onde um padrão de pensamento, ou extensão mental, de uma arena pode ser transferida para outra, inconscientemente, se é ou não apropriado. Foi a “transferência da extensão” que possibilitou alguns Nazistas ver os Judeus detentos dos campos de concentração como animais daninhos, como ratos, aqueles cuja exterminação era desagradável, mas um dever necessário. O modelo do “animal daninho” foi “inapropriadamente estendido” aos seres humanos naqueles dias, a maioria de nós pensaria assim agora. Alguns desses guardas dos Campos de Morte sinceramente acreditavam que eram simplesmente “exterminadores” em pé de igualdade com camaradas que exterminam pulgas e baratas. Certamente nós podemos chamar isso de erro, mas não é “mal”. Nem uma causa para raiva.

Um exemplo disso, relacionado à linha da percepção ou, nas palavras do Curso “projeção faz a percepção,” é quando nós pegamos um princípio como “é uma boa idéia parar nos sinais de parada” e aplicar isso como uma coisa absoluta, que em todos os casos, todas as leis deveriam ser estritamente obedecidas, incluindo, por exemplo, a lei que exigia que alguém considerasse Judeus como “ratos” em 1943 a Grande Alemanha.

P: O que você está chamando de um princípio (ex: “é uma boa idéia parar nos sinais de parada”) é um pensamento de faz de conta que é parte do falso auto-conceito que Deus não criou. O Espírito transcende a crença no físico. Se você ler os Princípios dos Milagres no início de UCEM você verá exemplos daquilo que eu chamo de princípio do milagre. O princípio do milagre realmente se aplica “em todos os casos”, e se você aplicar as lições do Livro de Exercícios sem exceção você Vivenciará isso como verdadeiro. Não há ordem de dificuldades em milagres precisamente porque o princípio é igualmente aplicável em todos os casos. Esta é a transferência de treinamento que o Livro de Exercícios de UCEM direciona e da qual a Experiência do verdadeiro perdão depende.

O nosso Ser Espiritual, representado pelo Espírito Santo, é compartilhado como um único Propósito ou Perspectiva. O Espírito Santo sabe o que é verdadeiramente mais útil “em todos os casos”. O Espírito Santo está sempre presente no interior para Guiar nossos pensamentos, emoções, percepções e inspiram as aparentes “ações” do corpo. Se alguém escuta ou não o Espírito Santo parece ser uma escolha, mas lembre-se que o Espírito Santo está sempre no interior, sempre presente e sempre esperando para ser ouvido.

Em qualquer situação, se você aquieta os pensamentos, aquieta as emoções, aquieta impulsos da sua mente e ouve o interior, o Espírito Santo, você intuitivamente sabe o que é a coisa certa a dizer ou fazer. Então se você ouvir com disposição você não precisa de uma legislatura ou um filósofo ou um psicólogo ou uma autoridade de qualquer tipo de igreja para te dizer o que é mente certa e o que dizer ou fazer. Se você é honesto com você mesmo você sabe que a resposta está dentro de você. O Espírito Santo é o Guia que sempre leva para a Paz de Deus.

Quando a mente pareceu adormecer e esquecer o Princípio Divino com Sendo Um com Deus, o Espírito Santo foi Dado como uma Luz Guia Cujo Propósito é o Perdão e o Despertar para a Unicidade. Mas, uma mente adormecida nem sempre quer ouvir o Espírito Santo. Às vezes uma mente adormecida ouve o ego. Este é um engano, pois o ego não é real e não conhece a Realidade. Pensamentos, emoções, percepções e ações do corpo que procedem do ego produzem a ilusão da escravidão da mente. O Espírito Santo sabe que a mente adormecida nem sempre vai ouvir a Orientação oferecida? É claro. O Espírito Santo conhece o medo do Despertar que a mente adormecida tem.

O Dez Mandamentos foram Dados na maior parte como “diretrizes” comportamental com a intenção de fazer a mente lembrar do Princípio Divino. Eu digo na maior parte porque os Mandamentos para o Amor do Senhor Seu Deus e o não cobiçar e não ter imagens esculpidas ou ídolos perante Deus não é comportamental da forma que são aplicadas diretamente no altar da mente. O Espírito Santo diz assim: já que você freqüentemente esquece de Me ouvir, eu te aviso de antemão que eu, sua Memória do Espírito, nunca vou te Guiar para matar, nunca vou te Guiar para cometer adultério, nunca vou te Guiar para roubar e nunca vou te Guiar para dar falso testemunho contra o seu irmão, etc. Você pode chamá-las de leis, porém são simplesmente diretrizes grotescas que Ajudam a te levar para Casa para o Céu. Cristo é o Princípio Divino ou Espírito para o qual essas “leis” apontam. O Cristo é o Espírito do Amor de Deus, e a única “Lei” real é o Amor Divino. Esta “Lei” não pode ser quebrada, pois Ela não tem oposto. Porém, esta “Lei” pode parecer não ser lembrada. Esta aparente amnésia é o cosmos do tempo-espaço de uma mente adormecida.

Essas “leis” dos Dez Mandamentos foram inspiradas pelo Espírito Santo como um lembrete ou passo no processo para voltar-se para dentro e seguir a Orientação do Espírito Santo “em todos os casos.” Quando o Princípio Eterno do Espírito, de Deus, do Cristo foi esquecido, as “leis” do ego foram “feitas” ou “projetadas” para fora do medo. Ouça lá no fundo. Não ouça as “lógicas” do ego. Ouça o Espírito Santo. As “leis” inventadas pelo ego não são nada e não levam a lugar algum. Porém, o Espírito Santo leva a mente adormecida para um gentil Despertar.

P: Sua exegese do Curso exemplifica uma boa parte da “transferência da extensão” na qual uma idéia é empurrada para fora do contexto e aplicada em uma situação bem irrelevante a ela. Os fariseus do Novo Testamento eram bem famosos por fazerem isso, criticando Jesus constantemente por causa das mais triviais violações técnicas da lei, levando Jesus a apontar que o Espírito da Lei, e não a escrita, era importante. “A Lei foi feita para o homem, não o homem para a lei.” Eles levaram uma idéia razoável “obedecer uma boa lei é uma coisa boa” a extensões absurdas e fizeram dela um absurdo.

R: Exemplos do Espírito Santo são Dados e usado para mostrar que não há exceções para o milagre. Eles ensinam a “não resistir ao mal” provando que não há nada real para se resistir. O contexto ou conteúdo de todos os exemplos que eu compartilho É o princípio do milagre. O que você percebe como uma “transferência da extensão” é simplesmente uma tentativa de negar que o milagre se aplica em todos os casos.

P: Eu já levantei uma questão sobre a citação “ultrajante” referente às coisas materiais, não verdades espirituais fundamentais. O exemplo do tributo do templo é um exemplo de uma “solicitação material”. O fato de Jesus tê-lo pago pescando um peixe e tirando uma moeda da sua boca, para todos verem, que é comparativamente ultrajante à exigência de pagar, demonstra seus sentimentos sobre o assunto. Mesmo assim, ele pagou. Realmente foi uma simples “solicitação material” para dar apoio ao Templo e aos padres. Ultrajante talvez seja pedir aos pobres para dar apoio aos fabulosamente ricos, mesmo assim, foi estritamente uma solicitação material.

R: Uma solicitação para “parar e desistir” de publicar ou distribuir um material com direitos autorais é também uma “solicitação material” específica. O exemplo de Jesus pagando o imposto do templo é um excelente exemplo da citação de UCEM que eu compartilhei no meu último email: “Reconhece que não importa e se os teus irmão te pedem algo “ultrajante”, faze, precisamente porque não importa. Recusa e a tua oposição estabelece que isso importa para ti. Contudo, foi apenas tu que fizeste com que o pedido fosse ultrajante e todo pedido de um irmão é para ti. Por que insistirias em negar-lhe? Pois fazê-lo é negar a ti mesmo e empobrecer a ambos. Ele está pedindo salvação assim como tu.” (T-12.III.4)

P: No entanto, nós podemos através da colaboração guiada pelo medo, nos convencer e convencer outros de que nós estamos nos rendendo à nossa liberdade. Que é “fazer o erro [parecer] real.” E é isto que muitos têm feito, em muitas ocasiões através dos tempos, pensando que era “sagrado”.

R: O medo é sempre uma percepção da mente errada. O milagre mostra que nunca há qualquer caso em que o medo seja justificado. O milagre simplesmente vê o falso como falso, portanto, está claro que não há nada para se opor. O milagre vê que não há nada para se rebelar, pois não há nada “fora” da totalidade da Perspectiva do Espírito Santo.

P: A nossa diferença está na tática. Eu acredito que é melhor não fingir fazer o impossível - desistir da liberdade; e eu abertamente nego a negação da verdade que é os direitos autorais, e me recuso a obedecer, exceto na ponta da espada. Isso é precisamente como Jesus, Paulo, Silas e Barnabé, respondeu no Novo Testamento às exigências similares para que parassem com suas pregações. Eles recusaram e foram presos. Eles não obedeceram a essas “leis ultrajantes” e eles disseram que eles não poderiam, pois fazer isso seria violar a lei de Deus. Você se propôs a obedecê-la na forma e ao mesmo tempo denunciando-a no conteúdo, criando um conflito para si mesmo no qual suas ações e suas crenças não correspondem. Eu, pelo menos, sou consistente. Meu comportamento reflete minha crença. Eu não fico fingindo ser aquilo o que eu não sou aqui.

R: Não há fingimento no milagre, pois somente o ego finge. Não há conflito no milagre porque não há fingimento. Você escreveu dizendo que não era possível desistir a liberdade, então adicionou “Eu acredito que é melhor não fingir fazer o impossível - desistir da liberdade,” tentando admitir que o fingimento é possível, mas não a “melhor” abordagem. O ego é o fingimento e você não é o ego. A verdadeira liberdade é de Deus e não pode SER tirada ou rendida. O milagre demonstra que isso é assim. O milagre demonstra que o conflito é impossível na integridade.

P: O conflito aqui não é realmente entre eu e você, mas entre você e você, é “intrapessoal” como todas as tentativas de negar a liberdade devem ser, de acordo com o Curso.

R: Se você percebe qualquer conflito este é um Chamado para o Amor. A Paz vem para a mente que vê que o conflito é impossível porque o ataque é impossível. Somente o ego acredita que o ataque é real, porém sem o conceito do ataque há somente a paz. O ego não é real e só existe paz. O Perdão é impessoal de uma maneira muito literal, pois ele transcende a crença em mentes privadas e pensamentos privados e pessoas separadas. A Perspectiva desapegada do Espírito Santo reflete a frase bíblica “Deus não faz acepção de pessoas.” “Intrapessoal” é uma outra palavra para o auto-conceito, porém o milagre mostra que nenhum auto-conceito pode ficar na Luz da Verdade. A Verdade é: eu sou como Deus Me criou. A Verdade e a crença no ataque não co-existem, pois o Amor perfeito exclui o medo.

P: Eu não estou incerto ou confuso sobre o que é honesto e o que não é aqui.

R: Você escreveu: “eu abertamente nego a negação da verdade que é os direitos autorais, e me recuso a obedecer, exceto na ponta da espada.” Deve despontar na consciência que a crença em uma “ponta de espada” não tem nada a ver com o princípio do milagre no qual não existe perda ou medo. O milagre é honesto, e o ego (sendo uma mentira sobre a identidade) é a experiência ilusória da incerteza, confusão e desonestidade.

P: Seu argumento é que eu acredito na transferência da extensão. Você está pegando a extensão mental e aplicando-a equivocadamente em uma situação na qual não faz sentido e que na verdade nos leva a uma falsa conclusão. Exatamente como a falsa transferência de que “Judeus são animais daninhos”, embora neste caso, felizmente, muito menos letal.

R: Não há ordem de dificuldades em milagres e nem hierarquia de ilusões. O milagre simplesmente vê o falso como falso.

P: Eu acho, **, que nós concordamos muito mais do que discordamos, detalhes da exegese do Curso. Nós concordamos que os direitos autorais derivam do medo e do ego, não do Espírito Santo e que o seu intento, que é infringir a liberdade, não pode ser bem sucedido porque ele viola a Lei de Deus. No entanto, neste mundo das percepções, nós podemos persuadir a nós mesmos que ele pode ou foi bem sucedido com os mecanismos Psicológicos tal como a negação. Que é “fazer o erro [parecer] real.” Como Jesus disse à Helen, em umas daquelas partes que “foram retiradas” das versões posteriores, “nunca subestime o poder da negação.”

R: O “nós podemos persuadir a nós mesmos...” é uma tentativa impossível de fazer a “negação” e o ego real na consciência. Quem é o “você” “neste mundo das percepções”? Você é uma Criança de Deus, criado em Espírito, e o ego não é Você. O ego não conhece a verdadeira liberdade em Cristo. Não há necessidade de tentar se identificar com o ego, pois o Cristo é a Realidade do Único Ser. Na Perspectiva do Espírito Santo é óbvio que o ego não é verdadeiro e não pode, portanto, ser crível.

P: O que é esquisito é você dizer que eu estou imaginando-o ser real enquanto eu consistentemente digo que não, ele deveria simplesmente ser ignorado, é pura ilusão. E eu recuso a obedece-lo porque o irreal honestamente não pode ser obedecido. Porém, você parece pensar que o seu fingimento de que ele é real ao obedece-lo demonstra melhor a irrealidade dele. Talvez você possa ver porque isso não entra na minha cabeça?

R: O Amor não tem oposto. No milagre é óbvio que toda forma é uma ilusão. O milagre não conhece necessidades, sendo um reflexo da Totalidade. O ego é a crença que há um “ele”, uma “lei de direitos autorais”, que é real e que, portanto, alguém possa “recusar-se a obedecê-la”. Por que uma mente se “recusaria a obedecer” algo que ela na verdade sabe que é irreal? A “recusa para obedecer” é um exemplo da tentativa do ego em “tornar o erro real”. Não resista ao mal porque não há nada para se resistir. O Amor olha para Si Mesmo. Na Perspectiva do Espírito Santo não há nada à parte da única mente íntegra e, portanto, não há “vilões” “aí fora”. A falsa crença (ego) é a ilusão de um “inimigo” “aí fora”. O Cristo não tem nenhum “inimigo”.

P: E quanto às “projeções” eu acho que a sua noção de que eu estou bravo e cercado por inimigos é uma projeção e não uma realidade. Eu não acredito que os direitos autorais podem restringir a liberdade “na verdade”, embora não possamos negar que ela parece poder fazer isso “no tempo.” Realmente isso pretendia parecer fazer assim.

R: Apenas libere a crença no tempo e você liberou o conceito “pode restringir a liberdade”.

P: Assim como o Curso nos diz que o atraso é “tragédia no tempo”, mas não na “eternidade.” Esta distinção entre os níveis de percepção do Curso é uma que eu penso que você precisa estudar um pouco.

R: A Eternidade não tem níveis. O milagre mostra a mente como causativa e os efeitos do mundo como sem significado. A mentalidade errada, a percepção do ego, vê a causa “no mundo.” Porque você acreditou em um faz de conta que a “lei dos direitos autorais” pode “restringir a liberdade,” a ilusão do transtorno foi vivenciado como real em sua consciência. Porém, como uma “lei” de faz de conta pode tirar a paz da mente? A alegre Resposta do Espírito Santo é que ela não pode ser tirada. O mundo é só um falso “efeito” de uma falsa “causa.” O ego fez o mundo como você o percebe. Deus cria Eternamente em Espírito. Deus não criou este mundo. Sua raiva brota da confusão sobre o seu Autor, sua Fonte. Deus é o Autor da Realidade, e Cristo é um Efeito de Deus. Você não pode criar a você mesmo, mas pode aceitar o nosso Ser como Deus criou o Ser. Perdoe a crença que Deus criou este mundo e vivencie a Alegria do Espírito Santo! No Instante Santo não existe tal coisa de “direitos autorais.” Esvazie a sua mente de todos esses conceitos, pois ilusões nunca contentarão a Santa Criança do Deus Vivo.

P: A percepção do ego é um engano, e não real, mas a percepção corrigida do Espírito Santo é “correta” e disso consiste o “mundo real”. Na percepção correta, os direitos autorais são simplesmente uma piada ruim, um simples engano, uma percepção equivocada. Tem que ser porque isso supõe que a liberdade pode ser limitada.

R: O ego e o seu mundo fragmentado do tempo-espaço foi simplesmente uma piada - e uma piada não é nem boa nem má. É para rir. Felizmente não há nada para se opor ou corrigir ou mudar na Percepção Corrigida do Espírito Santo. Percepção distorcida que pareceu “ver” um mundo fragmentado de mentes privadas e pensamentos privados, ataque e defesa, e heróis e vilões acabou agora. O passado se foi e nada, só uma bênção resta. Considere a alegria do verdadeiro perdão. Em contraste com o ego, a verdadeira liberdade e paz estão nesta única lição:

“O perdão, por sua vez, é quieto e na quietude nada faz. Não ofende nenhum aspecto da realidade, nem busca distorcê-la para encaixá-la em aparências que lhe agradam. Apenas olha e espera e não julga. Aquele que não quer perdoar tem que julgar, pois tem que justificar o seu fracasso em perdoar. Mas aquele que quer perdoar a si mesmo tem que aprender a dar boas-vindas à verdade exatamente como ela é.” (Exer-pII-1.4)

P: Eu realmente não acho que você se opõe à idéia de irmãos que tenham uma disputa se unam aos amigos e outros imparciais para discutir meios de resolver o problema. Em tal compartilhar a natureza ilusória do conflito deveria ficar evidente, assim como a solução do Espírito Santo que sempre será para o melhor interesse de todos.

R: Nós nos “reunimos” com o Propósito de dar boas-vindas à Solução exatamente como Ela é. Dar boas-vindas à Verdade exatamente como ela é, exatamente Agora, e existe uma Grande Causa para regozijar-se! Vivencie a Alegria Amado Milagre!!! Seja Feliz Agora!!! Eu te ofereço este simples lembrete:

“Não há nada fora de ti. Isso é o que tens que aprender em última instância, pois é o reconhecimento de que o Reino do Céu foi restaurado para ti. Pois Deus criou apenas isso e não foi embora nem te deixou separado de Si Mesmo. O Reino do Céu é a morada do Filho de Deus, que não deixou o seu Pai e nem habita à parte Dele. O Céu não é um lugar nem uma condição. É meramente uma consciência da perfeita unicidade e o conhecimento de que nada além disso existe, nada fora desse unicidade e nada mais dentro dela.” (T-18-VI.1)

Eu te amo para todo o sempre.


Página Inicial || Sobre este Site || Materiais de Estudo || Contato || Doações || Pedidos de Materiais

Teacher of Teachers in English

Sinta-se à vontade para compartilhar as idéias oferecidas aqui.Se você gostaria de participar distribuindo estes materiais,
entre em contato conosco.Nós adoraríamos te ouvir.

Política de Privacidade